HOME presentation in english presentación en español visualizar nossa página no YouTube visualizar nossa página no Twitter visualizar nossa página no Facebook visualizar mapa do site ir para página principal fale conosco ir para carrinho de locações / compras adicionar a seus favoritos
TUBARÃO 2.000 - Locação de Equipamentos - Produção de Filmes e Eventos - Estúdios

  

 »  MENU DE OPÇÕES
 » A EMPRESA
 » PRODUTOS
 » ESTÚDIOS (finalização)
 » PORTIFÓLIO
 » POR QUE LOCAR ?
 » VEJA SEU ORÇAMENTO
 » CADASTRO ON-LINE
 » ÁREA do CLIENTE
 » SERVIÇO AO INTERNAUTA
 » CONTATO / LOCALIZAÇÃO
 »  LOCADORA VIRTUAL:

locação promocional - clique aqui
microfone de lapela / mão sem fio (camera)

ALUGUE AQUI...

SP - (11) 2783 8666

TUDO EM ATÉ 6X


nova filial, qual melhor região em SP ?
zona OESTE
zona NORTE
zona SUL
ABC

EMPRESA FILIADA:

ANCINE
Agência Nacional
do Cinema


ABELE
Associação Brasileira
das Empresas
Locadoras de Equipamentos


SINDCINE
Sindicato dos Trabalhadores
na Indústria Cinematográfica
do Estado de São Paulo



 :. DICIONÁRIO TÉCNICO:

 
1 POLEGADA:
formato de vídeo lançado pela SONY em 1964, que utilizava carreteis abertos (open reel) e sistema de varredura helicoidal.

2D: técnica de modelagem de objetos e animação em computador que utiliza duas dimensões (largura e altura).

3D: técnica de modelagem de objetos e animação em computador que utiliza três dimensões (largura, altura e profundidade).

8mm: formato de vídeo criado em 1985, como fruto de um acordo entre os principais fabricantes na tentativa de padronização dos formatos. Sua qualidade de imagem (43 db na 1a geração) é semelhante à do VHS.

ANIMAÇÃO: técnica que usa uma seqüência de desenhos para dar a ilusão de movimento.

ARGUMENTO: é uma narração breve da estória com detalhes específicos sobre os acontecimentos, os cenários, as locações e as personagens sem introduzir a divisão de planos, o enquadramento e a movimentação da câmera. O argumento normalmente é um pouco mais detalhado que a sinopse.

ASSEMBLER: modo de gravação de vídeo e áudio simultâneos acionado através da tecla "REC" que apaga a trilha de tracking pre-existente e regrava nova trilha, causando um rasgo no final da gravação.

ASSINATURA: identificação, através de logomarca, da empresa que vende o produto ou serviço. Geralmente é a última parte de um comercial de televisão.

BETACAM: formato de vídeo profissional lançado pela SONY em 1982 que utiliza fita de ½ polegada, e separa o sinal de vídeo em três canais chamados componentes. Sua qualidade de imagem ultrapassa os 50 db's. Existem variantes do formato Betacam como o Betacam-SP e o Betacam Digital.

BETAMAX: foi o primeiro formato de videocassete realmente destinado ao uso doméstico, com fita de 1/2" de largura. O Betamax é superior ao VHS, pois apresenta uma série de vantagens, tais como: estojo da fita menor, cilindro de gravação um pouco maior, parte mecânica mais precisa e, principalmente, sistema de carregamento da fita em U. O formato, apesar de receber variações mais aperfeiçoadas como o Super Beta e o ED Beta, perdeu seu lugar no mercado para o VHS por questões de marketing.

CARTOON: cartum em português, é o desenho humorístico, caricatura ou esboço.

CASSETE: palavra de origem francesa que significa caixa. É uma caixa de plástico protetora resistente, de tamanho padronizado, que contém dois carreteis de fita magnética.

CENA: é a reunião de planos que estão relacionados com a mesma ação principal e/ou com a mesma locação. Normalmente a cena está relacionada ao cenário, pois é comum uma determinada ação começar e terminar na mesma locação.

CHARGE: é o cartoon político.

CHROMA-KEY: literalmente, "chave de cor". É uma técnica de sobreposição de imagens que recorta tudo o que for de uma determinada cor num canal, normalmente um fundo azul, e substitui pela imagem de outro canal.

KINESCOPIA: cópia de vídeo para filme.

CLAQUETE: quadro preto gravado pela câmera no início de cada cena ou plano que contém informações relevantes para a identificação dos mesmos no momento de edição.

CLOSE-UP: plano de enquadramento, também chamado de primeiríssimo plano, que mostra somente a cabeça do ator.

COLOR BARS: padrão de barras coloridas de formato internacional utilizado para calibrar as cores dos monitores. As cores são: branco, amarelo, ciano, verde, magenta, vermelho, azul e preto.

CORTE SECO: mudança de cena em que não se usa nenhum efeito de transição, para isso sendo suficientes apenas dois VCR’s na ilha de edição.

CRÉDITOS: colocação dos nomes dos profissionais que realizaram ou participaram da realização de um vídeo ou programa, geralmente no final do vídeo.

DECUPAGEM: é a divisão do filme ou vídeo em planos.

DIGITAL: sistema de processamento e gravação de um sinal magnético que converte as curvas de variação de voltagem do sinal analógico em dígitos, normalmente nos códigos binários 0 e 1, de qualidade superior ao sistema analógico. A cópia de digital para digital (sem decodificação analógica e sem recompressão) não produz perda de geração na qualidade da imagem.

DIGITAL-8: formato de vídeo criado pela SONY que grava sinal digital DV em videocassetes HI-8

DIGITAL-S: formato de vídeo criado pela JVC que grava sinal digital DV em videocassetes Super-VHS.

DOLLY: mecanismo especial utilizado para realizar suaves movimentos de travellings com a câmera que utiliza rodas sobre trilhos especiais ou sob o tripé.

DROP-OUT: são pequenas falhas na fita resultantes do desprendimento das partículas magnéticas. Como efeito visual, durante a reprodução, aparecem pequenas linhas horizontais brancas na imagem.

DV: ou digital vídeo são formatos de vídeo digitais criados na década de 90 como o DV-CAM, O DVC-PRÓ, o mini-DV e o Digital-S. Existem também outros formatos digitais mais antigos, como Betacam Digital, D1, D2.

DVD: digital versatile disc. Tipo de compact disc criado para substituir o CD-ROM com o mesmo formato físico deste. Comporta cerca de dez vezes ou mais a capacidade de gravação de um CD-ROM convencional e vídeos com alta qualidade de imagem no formato digital MPEG-2, além de áudio polifônico tipo Surround AC3. O DVD também comporta legendas em vários idiomas no mesmo disco.

EDIÇÃO: processo de pós-produção do vídeo equivalente à montagem no cinema, consiste na cópia dos planos e cenas selecionados do videotape original para o "master" ou matriz com ou sem efeitos e mixagens.

EDIÇÃO NÃO LINEAR: sistema de edição em que o som e as imagens são gravadas em discos, permitindo o acesso imediato a qualquer ponto do vídeo. Estes discos podem ser CDs, DVDs ou discos rígidos de computador (HDs). Neste sistema, a gravação e o processamento das imagens e do áudio é inteiramente digital e computadorizado, oferecendo inúmeras vantagens sobre o sistema convencional analógico.

EFEITO: é toda arte que produz alteração na imagem gerando um produto distinto do original.

ELENCO: grupo de pessoas (atores, atrizes e figurantes) que representam as personagens e fazem a figuração de um filme.

ESTÉREO: reprodução de um programa através de dois ou mais canais para criar uma terceira dimensão com posicionamento espacial para instrumentos e vozes.

EXTERNA: gravação fora do estúdio.

FADE-IN: efeito de fusão progressiva do preto para a imagem.

FADE-OUT: efeito de escurecimento progressivo da imagem até o preto.

FILME: tira em película de celuloide revestido com emulsão fotosensível, usado para fotografia. Após exposto à luz, deve passar pelo processo de revelação e fixação das imagens, que poderão ser copiadas em papel fotográfico apropriado ou projetadas em tela a partir do positivo.

FOCO: é a formação da imagem com a máxima nitidez através do posicionamento exato do centro ótico da lente.

FRAME: o mesmo que quadro de imagem estática.

FUSÃO: efeito de superposição de imagens em que uma aparece na medida em que a outra some.

GRANDE PLANO GERAL: é o enquadramento que permite o maior ângulo de visão, valorizando a paisagem e desvalorizando o personagem.

GRUA: tipo de guindaste especial para elevar a câmera ao mesmo tempo que gira sobre o eixo, permitindo grande flexibilidade de movimentos axiais e verticais.

HI-8: formato de vídeo lançado em 1989 pela SONY, é um aperfeiçoamento técnico do 8mm, que mantém as mesmas dimensões de fita e cartucho, porém incorporando maior nitidez de imagem (cerca de 400 linhas) e áudio estéreo Hi-Fi tipo PCM. O nível de sinal/ruído é de 46 db na primeira geração.

HI-FI: high-fidelity, significa som de alta definição, gravado por cabeças giratórias sob a forma de freqüência modulada, porém de qualidade semelhante a de um CD digital.

ILHA DE EDIÇÃO: local onde ficam os equipamentos de edição.

INCLINAÇÃO: movimento em que a câmera não sai do lugar mas a lente aponta para cima ou para baixo, também conhecido como panorâmica vertical.

INSERT: modo de edição em que o trecho da fita matriz que vai receber a gravação não pode estar virgem, deve possuir uma base com o registro da pista de tracking. Isto permite gravarmos só o vídeo sem apagar o áudio preexistente e vice versa. Não provoca rasgo no final da gravação como no modo assembler.

LOCAÇÃO: qualquer local de gravação fora do estúdio.

MAPEAMENTO: ato de identificar as imagens gravadas e anotar em formulário próprio sua localização na videocassete.

MESA DE CORTE E EFEITO: equipamento usado na ilha de edição que corrige e estabiliza as imagens advindas das câmeras e VCR’s de playback, acrescenta efeitos artísticos e bordas, mixa e faz transição entre os canais de áudio e vídeo, enviando a imagem resultante deste processo ao VCR recorder.

MIXAGEM: é a mistura entre dois ou mais canais de áudio com controle dos níveis de cada um.

MONO: um único canal de áudio.

MONOCROMÁTICO: sistema de cores preto e branco.

NTSC: sistema de cores e transmissão utilizado em mais de 40 países, inclusive USA e Japão, que tem 30 quadros de imagem por segundo, 525 linhas de resolução e opera em rede elétrica de 60 Hertz. A sigla significa National Television System Committee.

OFF-LINE: tipo de edição de vídeo mais econômica muito utilizada para se produzir rascunhos da edição final. Geralmente é feita em VHS com o time-code gravado sobre as imagens e utilizando somente cortes secos. O objetivo maior é saber quais planos de imagem comporão a edição final e em que seqüência para submeter à aprovação do cliente antes da edição final.

PACK-SHOT: Imagem do produto em primeiro plano.

PAL-M: sistema de cores e transmissão utilizado exclusivamente pelo Brasil, bastante semelhante ao NTSC. A diferença entre os dois é a freqüência de croma (3,579545 MHz no NTSC e 3,575611 no PAL-M). A sigla significa Phase Alternation Line - M onde PAL é o sistema de cores e M é o padrão de transmissão.

PANORÂMICA: movimento de câmera em que esta gira ao redor de um eixo imaginário qualquer, sem se deslocar, mostrando, por exemplo, uma paisagem ou cenário.

PLANO: é um segmento de imagem contínua compreendido entre dois cortes, ou seja, é a imagem registrada durante o intervalo de tempo no qual a câmera está gravando.

PLANO AMERICANO: enquadramento de cinema que mostra a personagem dos joelhos para cima ou da cintura para cima.

PLANO CONJUNTO: enquadramento de TV que corta o ator na altura dos joelhos ou um pouco abaixo.

PLANO GERAL: enquadramento de TV que mostra o ator de corpo inteiro.

PLANO MÉDIO: enquadramento de TV que mostra o ator da cintura para cima.

PRIMEIRÍSSIMO PLANO: enquadramento de TV que mostra apenas a cabeça do ator.

PRIMEIRO PLANO: enquadramento de TV que mostra a cabeça do ator, cortando-o na altura do peito.

QUADRINHOS: estória contada através de uma seqüência deliberada de imagens ou desenhos justapostos.

ROTEIRO: é um texto com a descrição detalhada das cenas, diálogos e indicações técnicas de um vídeo ou de um filme. Sua função é orientar a equipe durante as gravações ou filmagens.

SEQÜÊNCIA: é um conjunto de cenas que dão continuidade a uma história.

SINOPSE: é uma narração breve da estória com detalhes específicos sobre os acontecimentos, os cenários, as locações e as personagens sem introduzir a divisão de planos, o enquadramento e a movimentação da câmera.

STORY-BOARD: é o roteiro gráfico, desenhado em quadrinhos, em que cada retângulo corresponde a um plano.

STORY-LINE: é a síntese da sinopse, ou seja, é o próprio enredo. A story-line pode ter de 1 a 6 linhas e deve resumir as três etapas principais da estória: a apresentação, o desenvolvimento e a conclusão do incidente que compõem o eixo de ação central.

SUPER-VHS: formato de vídeo lançado pela JVC em 1987, é o resultado de um aperfeiçoamento técnico do VHS convencional. A principal característica do S-VHS é uma resolução horizontal de cerca de 400 linhas, graças à elevação do sinal de luminância (preto e branco), que trafega separado do sinal de croma (cor). O nível de sinal/ruído é de 45 db na primeira geração. A cassete de S-VHS tem as mesmas dimensões da VHS, porém as fitas S-VHS são feitas de um material de qualidade superior às VHS.

TAKE: o mesmo que tomada. É o registro repetido do mesmo plano, ou seja, quando o mesmo plano é gravado repeditas vezes, chamamos cada um de take 1, take 2, take 3...

TBC: sigla que significa Time Base Corrector, é um corretor digital de erros de temporização que põe cada etapa do sinal de vídeo no seu devido tempo exato.

TELECINAGEM: cópia de um filme (película fotográfica, celulóide) para uma fita de vídeo.

TELEVISÃO: literalmente, "visão de longe" é a visão que temos através de um aparelho televisor.

TIME-CODE: código digital que pode ser gravado nas fitas de vídeo, que informa o tempo decorrido de gravação em horas, minutos, segundos e frames. Com o time-code, cada quadro de imagem passa a ter seu endereço exato e definitivo.

TRANSCODIFICAÇÃO: sistema de conversão de um sistema de cores em outro. Por exemplo: de PAL-M para NTSC.

TRAVELLING: é o movimento no qual a câmera se desloca em qualquer direção.

U-MATIC: formato de vídeo lançado pela SONY em 1969. O U-MATIC foi o primeiro videocassete a aparecer no mercado. A fita de U-MATIC possui a largura de ¾ de polegada e é encontrada em cartuchos com dois tamanhos diferentes: KCA e KCS. Existe uma variante do formato U-MATIC que é o SP (superior performance).

VCR: o mesmo que Videocassete Recorder, é o aparelho utilizado para reproduzir ou gravar a videocassete.

VHS: formato de vídeo desenvolvido inicialmente pela SONY, que posteriormente o abandonou para a JVC. Se tornou o formato mais popular. A sigla é a abreviação de Vídeo Home System, ou seja, sistema de vídeo doméstico. Oferece resolução de imagem de cerca de 240 linhas horizontais e nível de sinal/ruído de 42 db na primeira geração. A fita VHS tem a largura de ½ polegada e pode ser gravada e reproduzida em três velocidades: SP, LP e SLP ou EP.

VIDEO: o nome vídeo, etimologicamente, provém de "ver". O conceito é antigo, desde a invenção da televisão eletrônica, na década de 30. Os circuitos tinham o nome, em inglês, de "audio" e "video".

VIDEOCASSETE: é uma caixa de plástico padronizada que contém em seu interior dois carreteis de fita de vídeo, um alimentador e um de rebobinamento. As fitas são feitas de poliéster tensilizado e se destinam à gravação magnética. Existem cinco tipos de revestimento utilizados nas fitas de vídeo: óxido de ferro, dióxido de cromo, óxido de ferro absorvido com cobalto, metal puro e metal vaporizado.

VINHETA: efeito visual e sonoro de curta duração. A vinheta é inserida na abertura, no início do capítulo, entre breakes e no encerramento do bloco.

WIPE: efeito em que uma imagem entra por cima da outra como se fosse uma cortina. Existem centenas de formas e combinações de wipe.

ZOOM: conjunto de lentes com distância focal e abertura angular variáveis.

ZOOM-IN: efeito de aproximação causado pelo aumento da distância focal e diminuição da abertura angular da lente.

ZOOM-OUT: efeito de afastamento causado pela diminuição da distância focal e aumento da abertura angular da lente.

SP (11) 2783 8666 - Direitos Reservados - Copyright 2007 - Fotos Ilustrativas - 75 visitante(s) On-Line - Seu IP: 54.211.82.105.